29/11/08 ~ 14:11 ~ Perdi o Jeito :/

Me parece que perdi o jeito de blogar, queria tanto voltar a ter aquela paixão que tinha antigamente.
Passar horas pensando no que postar, como postar, porque postar. As palavras certinhas, o layout perfeito, com as cores mais bonitas possíveis. Eu ficava tão empolgada com qualquer coisa que se relacionasse com o meu blog, era tão bom. Qualquer coisinha a mais, qualquer comentário de um blog que não conhecia, um award, uma avaliação, um top, um código novo.. Sei lá, qualquer coisa era UOU!
Não sei porque esse ano perdi um pouco disso, queria muito saber e cortar logo esse motivo. Desde sempre bloguei, desde sempre tive uma paixão enorme por tudo isso. Não é possivel que eu vá querer deixar algo que - querendo ou não - me pertence. Afinal, fez parte dos momentos mais importantes para mim. Com os meus blogs, descobri algumas atividades que adoro; escrever, brincar com a minha criatividade, criar, criar layouts, códigos - tanto é que criei o Lost Templates de tanto amar fazer isso, era demais para mim, precisava dividir com alguém ou, alguéns :)
Me tanto a crescer! Sempre querendo ser original, dar e fazer o melhor de mim e como pessoa também. Aqui "achei" pessoas maravilhosas, amigos de internet, de blogs. As meninas que me conhecem desde a época do Blind ou, melhor ainda do yeah yeaah (old total!), não sabem quanta falta fizeram no tempo em que estive ausente. Fico feliz demais saber que algumas ainda se lembram de mim ! Obrigada a todas por todos os conselhos e por terem saco de ter lido todas as minhas baboseiras por tanto tempo, hehe.
Agora.. Espero mesmo voltar a ter aquela paixão em blogar, aquela que tinha lá pelos menos 13, 14 anos de idade. Que muitos anos ainda venham por aqui :D

E quanto a um comentário que fizeram aqui, eu aceito sim, com toda a certeza desse mundo ! ♥

@ Belle & Sebastian - Expectations  
@ Naa Go Veg! @


25/11/08 ~ 18:51 ~ Cara nova e um post inútil.

Já mudou de layout Nathaliaaa? O_O'
Sim, hehe. Aquele layout estava pronto há TANTO tempo que eu nem aguentava mais ver a cara dele. Acredito que por isso mesmo que troquei tão rápido. Gostei desse e, segundo o que meu gatinho esteve me dizendo, páginas escuras ajudam a economizar energia! Então, estou ajudando - mesmo que seja muito pouco - com o consumo de energia. Dêem uma olhada no Google Night e entendam um pouco mais sobre isso :)
Como fiquei por fora da blogesfera por uns meses, perdi o rumo total de tudo o que acontece por aqui. Até me espantei em saber que ainda existem awards e contests. Como eu adorava participar disso ! ahehueahuaehae
Acho que até vou me inscrever em alguns, só para ver se ainda manjo algo :)
Acabei ficando de recuperação em geometria e gramática, como eu imaginava, como foi durante o ano todo ¬¬
Não tem graça. Droga, Sou muito burra >.<

Cara, meu amor é todo famosoo. Hoje foi todo, todo na record. Ficou lá dando entrevista ao vivo, maior tempão, olha sóo, todo pop! E logo mais vai gravar outro programa no sbt.
Já disse para ele que quero autógrafo nos meus peeitos, se não, nada feito ! HAEHUAEHU *Naa bobona*

@ Radiohead - Prove Yourself  
@ Naa Go Veg! @


25/11/08 ~ 03:13 - sumir.

E sempre me bate aquela vontade de sumir do mundo.
Quase todo o mundo; apenas uma única excessão.
[...]
- Sashaaa, você anda sumida.
Todas elas dizem isso e eu também sei disso maas.. Não tenho vontade alguma de aparecer, não agora.  
@ Naa Go Veg! @


22/11/08 ~ 01:06 ~ Esquece.

Deixa para lá, esquece :@
Porque não tenho uma arma?
Seria MUITO útil agora.
Pelo menos tenho uma sacada, algumas janelas e remédios.
E muito ódio também. Lágrimas e nervosismo demais me atrapalham a pensar no momento. No estado em que me encontro eu poderia destruir muitas coisas ><
Mais uma vez parabéns Nathalia, parabéns. Você se fodeu.

Só aguardo o dia do juízo final, cansei.  
@ Naa Go Veg! @


21/11/08 ~ 02:54 ~ Uma Vida Inteira.

"É uma menina!
Se chamará Nathalia."


Por serem pais esforçados e que querem tudo do bom e do melhor para seus filhos, trabalham o dia todo. Desde que tem 1 ano de idade fica em creches, colégios, casa de familiares. Ela completa 2, 3, 4, 5 anos e então tudo começa.
Vive na casa da avó, pai e mãe não existem, trabalham o dia todo para dar o melhor aos filhos - como se dinheiro importasse tanto assim. Ia do colégio para a casa da avó, convivia diariamente com seu primo, seu irmão. Convivia diariamente com "Nathalia gorda, chata, baleia, feia, boba, idiota" e mais apelidos carinhosos, durante 10 anos. Talvez ela entenda porque acredita que todos esses adjetivos sejam a mais pura verdade.
Ela quer atenção de alguém, ela quer carinho e proteção.

Ela fez dois anos de flauta doce, ela fez seis meses de origami, ela se encanta com a cultura japonesa, ela aprende a falar japones durante 5 anos.

Não tinha amigos. Era a gorda chata que ficava sempre excluida no canto da sala. Nunca conseguiu ser a aluna que queria, nunca conseguiu ter coleguinhas que a chamassem para um aniversário, chorava por ir mal nas provas. Chorava por ouvir de seu irmão e de seu primo "elogios" diariamente, chorava por não ter amigos, chorava por receber beliscões, chorava por receber cintadas, chorava por receber tapas.. Desde pequena ela sempre deu o máximo de si e nunca conseguiu grandes feitos, elogios ou reconhecimento. Mesmo que ela ficasse satisfeita, ninguém ficava. Será que a culpa sempre foi dela de ver coisas que não existem?
Ela quer atenção de alguém, ela quer carinho e proteção.

Ela desenhava compulsivamente mangás, qualquer informação de revistas, em desenhos eram sempre bem vindas. Ela aprendeu sozinha.

Completa 11 anos. Para de ir para a casa da avó, começa a 5ª série, começam as tardes solitárias. Começa o preconceito, começam os apelidos, começam os julgamentos. Todos os dias ouvindo a mesma coisa, ela está quietinha em seu canto - como sempre fez, pois nunca soube como lidar com as pessoas - e mexiam com ela, feridas internas eternas.
Cutucões, palavras, frases, risos.
Vontade de sumir, morrer, acabar com todos.
Com isso, o interesse por estudos diminui, em casa mais broncas, mais cobranças. Menos ouvidos a ela, ela não tem razão nunca, os erros são só dela, a culpa SEMPRE é dela. E ela sabe disso, tem a consciencia dela, que a culpa em todos os momentos, sem interrupções. Nunca um pedido de desculpas pelas agressões sofridas porque outras pessoas perderam a cabeça. Mesmo que ela seja violenta, ela sabe que esse jamais foi o caminho para se resolver algo.
Ela se torna assustada, medrosa, quieta, fechada, chorona, solitária. Um fracasso.
Ela quer atenção de alguém, ela quer carinho e proteção.

Ela quer sumir.

Ela começou a se interessar por internet. Logo descobriu os blogs, um mundo que ela é apaixonada até hoje. Por querer deixar tudo ao modo dela foi atrás de conserguir aprender a fazer HTML, e sozinha conseguiu, ficou feliz.

Ela fez aula de pintura com tinta a oléo, com tinta acrílica, ela faz aula de mangá, ela para.
Ela aprende a modelar biscuit sozinha, ela aprende a pintar, ela consegue um pouco de atenção, ela saiu um pouco do anonimato. Até ganhou um patrocinio. Ela ganhou uma paixão maior, mais forte pela arte, uma das poucas coisas que ela trás consigo desde sempre, um dos poucos modos que ela pode se expressar. Lembra-se de falar quando muito mais nova "Irei fazer faculdade de artes". Por ser uma estúpida, abandona o biscuit, abandona a única coisa que fez certa em toda sua vida.

Ela queria fazer barulho, ela tocava bateria o dia todo, mesmo com os vizinhos reclamando.

Teve sorte, conheceu pessoas boas, meninas queridas. Foi em algumas festinhas de anivarsério, se sentiu feliz por isso, finalmente algum passo foi dado. Uma pontinha de felicidade e esperança a invadiram. Algumas a acompanham até hoje, outras meninas partiram e provavelmente nunca mais voltarão. Ganhou uma perfuração de aniversário delas. Quase explodiu de felicidade. Finalmente um sonho de muitos anos havia se realizado, pelo menos UM sonho.

Descobriu que existia o amor, se intregou a ele.
Logo mais descobriu que talvez o amor não existisse, congelou.
Carência, tristeza, solidão, choros abafados, mágoas, ódio, rancor começaram a ser MAIS presentes na vida dela.
Desistiu e infelizmente (?) reuniu esperanças novamente.
Ela quer atenção de alguém, ela quer carinho e proteção.

Foi a Bariloche, se apaixonou pela neve.
Descobriu um modo interessante de arte, cozinhar. O prato sempre tem de ser perfeito, colorido, bem montado, disposição impecável, sabores que combinam, provocar água na boca só de olhar e sentir o cheiro. O sabor PERFEITO.
Fazia jantares, festas, almoços, tudo. Recebeu vários elogios.
Achou uma esperança de ter algum dom.

Quis emagrecer, conseguiu. 12kgs em 3 meses.
Época chata, que ela odeia lembrar, não comia, ficava irritada por causa disso, fraca, com sono, chata, passava vontade de tudo.
Desmaiou e tomou uma bronca enorme. Além do queixo machucado quando desmaiou.

Se formou, o colegial começou. Bons amigos, boas notas, bom primeiro ano, uma perfuração nova, um novo modo de se divertir e de se "enfeitar".
Maior interesse por estudos.
Se deu bem com blogs, o seu ganhava vários prémios, awards, muitos de ouro. Euforia completa, realização quanto aos seus conhecimentos de infromática. Inicialização de um curso de Web Desing. Além de conhecer ótimas pessoas por aqui também.

O segundo ano começou, mancada dela, recuperações por confiar demais em si - desde então, nunca mais fez o mesmo - amigos mais restritos, porém ótimos. Pessoas cortadas de sua vida, ódio de muitas pessoas, de muitas situações, irrita-se facilmente. Odeia brigas as-evita ao máximo, compulsão por perfurações, um novo amor, uma arte nova, uma tela em branco para ser preechida.
Um novo modo de vida, mais preconceito. Uma ideologia a ser seguida que foi bombardeada por proibições, críticas intensas e constantes. E a cada dia que se passa ela sente mais orgulho e se sente mais decidida a continuar em frente.

Estress em casa, estress com amigas, estress com a vida, estress principalmente dela com ela. Irritabilidade no nível máximo, boxe a acalmava.

Conheceu ele.
Se encantou com ele, foi feliz com ele. Por mais que falassem, a aparência nunca importou e nunca importará, ela jamais ligou para isso e não será agora que vai mudar. E sabia desde aquela época se não fosse com ele, não seria com mais ninguém, seria o último a quem ela entregaria um bem que ela ainda tem como precioso, seu coração.
Se magoou muito com o que os seus pais fizeram, brigas, brigas, brigas, brigas, brigas, sofreu na pele e sozinha as consequências. Se sentia mal o tempo todo, derrotada, mais magoada do que nunca, traída (mais uma vez, ela já até perdeu as contas). Mais brigas, brigas e brigas. Blog deletado, brigas, brigas, brigas.
Se magoou muito com ele mas o perdoou.
Está com ele e quer vê-lo sempre muito bem, espera conseguir ser boa o suficiente, se empenha ao máximo sempre. É totalmente apaixonada por ele.

Ela tem se sentido cansada, pois tem cobrado muito de sí.
Ela tem se sentido cansada de ser esgoísta e só olhar os problemas dela, pensar que só existe ela no mundo.
Ela tem estado irritada demais consigo mesma, por ser egoísta demais.
Ela tem perdido tempo demais se odiando cada vez mais, algo que ela sabe que jamais irá mudar.
Ela tem medo da realidade, pois isso tem a machucado demais.
Ela tem se perdido dentro de sí, algo estranho que nem ela sabe explicar.
Ela está cansada de se culpar por tudo, mesmo não tendo culpa.
Ela quer a perfeição em tudo o que faz, porque ela sabe que só coisas perfeitas que são boas.
Ela quer achar o que realmente ela é, porque ela se olha no espelho e não se reconhece, não mais.

Ela quer um pouco de tranquilidade, quer ajuda mas não sabe como pedir, quer uma noite bem dormida, quer ficar sem se preocupar, em paz, nem que seja por UM ÚNICO dia.
Ela queria aceitar a si mesma.  
@ Naa Go Veg! @


19/11/08 ~ 23:53

Finalmente acabei de fazer o No Memory! Há tempos que estava prometendo voltar por aqui, senti falta :)
Desde a minha última postagem, o tempo passou, algumas coisas mudaram um pouco, uma pena que tenham sido para pior. Cada dia que se passa as coisas tem ficado mais complicadas em praticamente todos os aspectos.
Hoje pensei em tudo o que aconteceu em 2008, coisas ótimas, coisas péssimas, alguns poucos - e contáveis - tempos de alegria, euforia e tranquilidade total. O resto do tempo foi realmente pesado e complicado. Queria apenas sair desse buraco que tenho cavado mas.. É bem dificil.
"Dá para ver no seu rosto que você anda chorando todos os dias" é.. Pois bem :x
Venho me sentindo muito sozinha nos últimos tempos, me sentindo a cada dia que se passa mais mergulhada em solidão. E, essa era a coisa que menos queria.. Não sei o que fazer para resolver tudo isso !
É dificil tentar ficar bem, ficar tranquila quando o que você mais procura é um pouco de proteção e carinho e não acha nada. Nem mesmo dentro de casa. Queria apenas deitar tranquilamente e dormir uma noite inteira, sem ficar acordando e lembrar que tudo o que me deixa feliz são apenas sonhos. Sonhos que simplismente somem quando abro os olhos. Porque não posso dormir para sempre..?  
@ Naa Go Veg! @


19/11/08 ~ 23:46

Se você quer gritar comece já
Os momentos nunca vão voltar
As criaturas vão te estuprar
Os híbridos estão a te esperar

E você quer chorar, e você quer gritar
E a sua morte vai chegar
Não adianta nem rezar, ninguém vai te salvar

Sua vida não existe mais
Nem a sua mãe e nem seu pai
É só você e as criaturas
Os híbridos e os anormais

E então você morreu, seu corpo apodreceu
A vida é um jogo e você perdeu
Veja como é cruel, você não foi para o céu
 
@ Naa Go Veg! @


19/11/08 ~ 21:53

Uma bala na pistola
Meu momento de glória
Eu só tenho uma chance.

:@  
@ Naa Go Veg! @







 @ Salut!

Criado apenas com o intuito de me agradar, No Memory é um blog pessoal. Sem nenhum tipo de fim lucrativo ou intenção de agradar você.


 @ Follow me

Orkut . Go Veg! . Fotolog . Nabiscuit . Skoob . LT


 @ Sigo

Paranojulo, Princesa do Tédio, Grão de Estrela, Renato, etc, Pensamento Traduzido, Sem formol não alisa, Lush Pepper, Literatura Vil, See the Light

 @ Pense.




 @ Fim.

No Memory 2008 - 2009;
Por Naa - São Paulo Brasil.
1024x800.